Idade Ideal


O melhor momento para tratar as maloclusões é durante a fase de maior crescimento das crianças.

Idade Ideal

Sabe-se que a prevenção é sempre a melhor conduta. Não é aconselhável esperar que um problema se agrave para tratá-lo. Por isso os primeiros exames com a finalidade de se detectar desarmonias ortodônticas, devem ser feitos em idade bem precoce. Em torno dos quatro a cinco anos de idade, alguns problemas podem já estar presentes nas crianças.

Os procedimentos preventivos, que são executados com o auxílio de dispositivos bem simples, podem ajudar bastante. Alguns desvios funcionais como a postura viciosa da língua na fala e na deglutição atípica; dificuldade respiratória provocada por alergias, adenóides, desvios de septo nasal, amigdalites; hábitos de sucção de dedo ou de chupeta, etc., podem ser detectados nesse primeiro exame.

O ortodontista saberá indicar os profissionais adequados para a correção desses desvios. Não é correto esperar que a dentição permanente se complete para que se inicie um tratamento ortodôntico. Existe um tabu bastante divulgado que desencoraja alguns pacientes adultos a se submeterem a tratamentos ortodônticos. Esse tabu, felizmente está sendo derrubado, pois sabe-se que, excetuando-se raras situações, as correções ortodônticas podem ser realizadas em qualquer idade.

A ortodontia se tornou ultimamente uma especialidade muito popular. Hoje muitas pessoas estão usando aparelhos corretivos. O acesso aos tratamentos ortodônticos se tornou mais fácil com a criação de novos cursos de especialização e, além da questão da conscientização e da necessidade das correções, o poder aquisitivo da população melhorou, aumentando assim a procura pelos consultórios ortodônticos.

Antes poucas pessoas podiam pagar um tratamento, pois só existiam os aparelhos importados que eram muito caros. Entretanto, um aspecto precisa ser ressaltado: apesar de parecer simples, o tratamento ortodôntico é bastante complexo e pode por isso, apresentar alguns riscos. Ao escolher um profissional é preciso saber da sua experiência e habilitação.

Um tratamento mal conduzido pode produzir danos irreversíveis aos dentes e aos tecidos de suporte. O profissional nunca deve ser escolhido apenas pelos baixos honorários que pratica.

Jovens

Muitos pais têm dúvida a respeito da evolução da dentição de seus filhos e do momento mais adequado para iniciar qualquer intervenção ortodôntica.

Devemos ressaltar que existem duas dentições, a decídua, também conhecida como dentição de leite e a dentição permanente.

Vale lembrar também, que o maior cuidado que os pais podem ter com a dentição de seus filhos está relacionado com a prevenção. Cáries podem ser prevenidas simplesmente com a limpeza diária dos dentes, que deve ser realizada inclusive nos bebês. Hábitos orais, como chupar dedos, respirar pela boca e deglutir e falar incorretamente devem sempre ser observados.

Em caso de dúvida, converse com um especialista em Ortodontia.

O melhor momento para tratar as maloclusões é durante a fase de maior crescimento das crianças. Esta fase é conhecida como surto de crescimento e ocorre concomitantemente a substituição natural da dentição decídua pela dentição permanente da criança. Este surto de crescimento acontece por volta dos 11 a 12 anos nas meninas e dos 13 aos 14 anos nos meninos e representa o inicio da adolescência.

Entretanto, algumas vezes, são necessárias algumas intervenções em idade mais precoce para resolver problemas que podem dificultar a correção ortodôntica no futuro. Nesses casos, o tratamento precoce pode ser de grande auxílio, pois representa uma oportunidade única no desenvolvimento da criança de:

  • Guiar e direcionar o crescimento das arcadas (ossos)
  • Acomodar corretamente a arcada superior sobre a inferior
  • Guiar a erupção de dentes permanentes para suas posições corretas
  • Diminuir as chances de fraturas de dentes projetados
  • Reduzir ou eliminar problemas de fala e deglutição
  • Melhorar a aparência e a auto-estima
  • Diminuir o tempo de tratamento ortodôntico futur
  • Eliminar a necessidade de tratamento futuro
  • Manter espaço para a erupção de dentes permanente

 

Adultos

Muitas pessoas acreditam que aparelhos ortodônticos são apenas para crianças e jovens. Isso não é verdade, pois dentes saudáveis podem ser movimentados em qualquer idade. Muitos dos problemas ortodônticos podem ser corrigidos nos adultos com a mesma facilidade que em crianças ou adolescentes. A diferença está no crescimento, pois nos adultos já não se pode contar com ele, e no tempo de tratamento, que dependendo do problema, pode ser um pouco maior.

O tratamento ortodôntico, quando bem indicado, é de grande benefício aos adultos, principalmente aqueles, que durante anos conviveram com problemas de oclusão. O tratamento ortodôntico restabelece uma boa função dentária e melhora a aparência do sorriso. É importante lembrar que um sorriso bonito, além de ser saudável, aumenta a auto-estima. Não importa a idade.

Qual a diferença entre o tratamento de adultos e o de jovens?

Crescimento: a maioria das discrepâncias ósseas pode ser corrigida na época de crescimento através do uso de aparelhos extra-orais ou de aparelhos funcionais. Esses aparelhos funcionam redirecionando o crescimento da maxila ou da mandíbula para uma relação mais favorável. Nos adultos não se pode contar mais com o crescimento e a resolução de determinados problemas requer outras medidas. Por exemplo, em pacientes com a arcada inferior muito pequena e curta, que não se encaixa corretamente com a arcada superior, muitas vezes é necessário uma cirurgia (cirurgia ortognática) para estabelecer a correta relação entra as arcadas. A movimentação dentária, muitas vezes, não é suficiente para resolver discrepâncias muito grandes e a cirurgia ortognática torna-se uma valiosa alternativa para o tratamento.

Gengivas e ossos: é muito comum, em pacientes adultos, a presença localizada ou mesmo generalizada de problemas gengivais e ósseos. Nesses casos, o tratamento ortodôntico deve ser conduzido em conjunto com o dentista do paciente ou mesmo um especialista em periodontia. Perdas ósseas podem limitar a quantidade e direção do movimento dentário.

Dentes restaurados, gastos ou perdidos: como resultado de desgastes naturais, perdas precoces ou mesmo restaurações inadequadas, os dentes movimentam-se gradualmente. Essas características podem tornar o tratamento ortodôntico mais difícil, mas, por outro lado, ainda mais importante. O tratamento ortodôntico feito em conjunto com o reabilitador oral pode ser de grande valia no estabelecimento de posições dentárias mais adequadas, na abertura de espaço para a colocação de próteses e implantes ou mesmo no fechamento de pequenos espaços.